Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Miúdos Seguros Na Net - Promover a Segurança de Crianças e Jovens na Internet

Minimizar Riscos, Maximizar Benefícios.

Miúdos Seguros Na Net - Promover a Segurança de Crianças e Jovens na Internet

Minimizar Riscos, Maximizar Benefícios.

Ensinar a Segurança

Tito de Morais, 21.08.07

Logotipo da National Cyber Security AllianceNo passado dia 15 de Agosto, a National Cyber Security Alliance (NCSA), com o apoio de empresas tais como a Computer Associates, McAfee, Microsoft e Symantec, assim como organizações educativas tais como o Consortium of School Networking e a State Education Technology Directors Association, apelou aos líderes estatais dos Estados Unidos da América para colaborarem com os líderes educacionais a nível estatal de forma a garantirem que todas as salas de aula passassem a integrar lições sobre ciber segurança e ciber ética.

 

No Estados Unidos, o "No Child Left Behind Act" exige que os estudantes sejam tecnologicamente literados ao completarem o 8º ano. Segundo um comunicado de impresa da NCSA, a National School Boards Association revelou que 96% dos distritos escolares afirmam que pelo menos alguns dos seus professores marcam trabalhos de casa que exigem a utilização da Internet. No entanto, ainda não existe educação formal sobre como utilizar a Internet de uma forma ética e segura.

 

Apesar do que é afirmado no comunicado, são várias as organizações não-governamentais norte-americanas, algumas delas socorrendo-se de fundos e apoios estatais, que desenvolveram e disponibilizam curriculuns escolares sobre estes temas cuja utilização é feita de forma gratuita e voluntária desde finais da década de 90/inícios deste século. A este nível, o Estado da Virgínia foi inovador, tendo sido o primeiro estado norte-americano a tornar obrigatória a inclusão destas matérias nos curriculuns escolares tendo, para o efeito produzido legislação específica que complementava outra legislação anterior que já obrigava as escolas a adoptarem Políticas de Utilização Aceitável.

 

Imagem ilustrativa da estatística referida no estudo da Universidade do MichiganSegundo o comunicado da NCSA, as aptidões no domínio da utilização da Internet são indispensáveis aos estudantes do século XXI, mas a Internet, tal como o mundo real, pode expô-los a perigos e ameaças com os quais se podem confrontar no decorrer de um dia normal. Entre estes, contam-se contactos por parte de ladrões de identidade, predadores sexuais e cyberbullies. Ainda segundo este comunicado da NCSA, um estudo recente da Universidade do Michigan sobre questões de saúde das crianças (Maio de 2007), os adultos classificaram a "segurança na Internet" como o 7º problema mais importante a afectar os seus filhos, com 1 em cada quatro adultos a classificarem este tema como "grande problema".

 

"À medida que mais e mais crianças e adolescentes crescem no mundo online, é importante que percebam como se devem comportar online e que a sua segurança depende de falarem ou não com estranhos, coloque ou não informação pessoal em sites de redes sociais ou protejam os seus computadores familiares, afirmou Ron Teixeira, Director Executivo da NCSA. "É crítico que os Estados e as escolas integrem lições sobre segurança Internet, ciber ética e ciber segurança nos esforços educacionais actuais no domínio da literacia tecnológica de forma a proteger as crianças do risco de roubo de identidade, mas também para proteger a infraestrutura online da nação".

 

Para garantir que as crianças recebam um ciber educação exaustiva que as ajude a evitar a maioria das ameaças com que se defrontam online, os programas de ciber sensibilização devem incorporar o que a NCSA denominou C3 framework (cyber ethics, cyber safety e cyber security). Não o fazer poderá criar nos alunos um falso sentido de segurança. Os princípios do framework C3 fornecem uma abordagem equilibrada que fornecem aos estudantes conhecimentos práticos e as aptidões necessárias para evitar predadores sexuais, ataques de phishing, cyberbullies, ladrões de identidade e outros perigos na Internet. De uma forma genérica, estes são os princípios orientadores do C3 framework:

  • Cyber Ethics: estas lições ensinam que o hacking de computadores e a obtenção ilícita de informação é tão errado quanto assaltar a casa de alguém. O cyberbullying é tão errado como o bullying nos recreios escolares. Regras e códigos de comportamento aceitáveis devem ser estabelecidos no mundo virtual, tal como o são no mundo real.
  • Cyber Safety: estas lições incorporam muitas dicas de comportamento social que visam proteger as crianças de perigos online tais como evitar cyber predadores, assédio e contactos indesejáveis de cyberbullies. Também incorporam dicas que ajudam os alunos a reconhecer se se envolveram em situações perigosas e a responder às mesmas com eficácia quando estão online, incluindo quando e como denunciar as ameaças com que se podem confrontar online.
  • Cyber Security: estas lições fornecem aos estudantes informação sobre como salvaguardar os seus computadores, identidades e informação financeira. Outras lições incluem a necessidade de utilização de palavras-chave fortes, efeitos de vírus, características do correio electrónico não solicitado e os perigos de responder a esquemas de phishing e de pharming.

Segundo a NCSA, não só as aulas de ciber sensibilização ensinam às crianças formas delas próprias se protegerem de ciber criminosos, como também é necessário ajudar os estudantes a lidar com o assédio e o cyberbullying de outras crianças. É que de acordo com um estudo realizado em 2006 pelo National Center for Missing and Exploited Children e pela University de New Hampshire, o assédio online aumentou mais de 50% entre o ano 2000 e o ano 2006 e 44% dessas comunicações de assédio foram provenientes dos pares das vítimas. Acresce que, de acordo com um estudo recente do Pew Internet & American Life Project, "um terço de todos os adolescentes que usam a Internet já foram vítimas de cyberbullying".

 

"Se está a ensinar uma criança a andar de bicicleta, o seu trabalho não termina enquanto a criança não for capaz de o fazer de uma forma segura e responsável", afirmou Nancy Willard, Directora do Center for Safe and Responsible Internet Use e autora do livro Cyber-Safe Kids, Cyber-Savvy Teens. "É bastante claro que precisamos de tratar estes temas. A abordagem proposta pela NCSA fornece um excelente modelo para os líderes estatais seguirem na criação de um estrutura exasutiva de planeamento e implementação que atrairá as partes necessárias para a mesa, de forma a assegurar uma instrução eficaz e abrangente".

 

São já muitas as empresas e as organizações que apoiam ou participam no desenvolvimento da abordagem ciber educacional da NCSA e a todas as organizações interessadas em apoiar o C3 Framework da NCSA aconselha-se a leitura deste whitepaper para mais informações.

 

Eis uma iniciativa que seria da maior importância ser adoptada em Portugal no âmbito do Plano Tecnológico da Educação.

3ª Semana da Juventude

Tito de Morais, 23.07.07

Imagem do Cartaz da 3ª Semana da Juventude de Oliveira do HospitalAmanhã, 3ª feira, 24 de Julho de 2007, pelas 21h30m, estarei em Oliveira do Hospital. Mais precisamente na Casa da Cultura César de Oliveira. A convite da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, irei participar no II Fórum da Juventude. Participarei como orador num debate sobre o tema "Internet (In)Segura", no que serei acompanhado por um orador da Microsoft Portugal. A entrada é livre.

 

A Casa da Cultura César Oliveira fica na Rua do Colégio e integra um auditório com capacidade para 180 pessoas, Posto de Turismo, Bar, Espaço Internet, Centro de Divulgação das Tecnologias de Informação, Biblioteca Municipal e Espaço de Exposições.

 

A actividade insere-se no programa da 3ª semana da Juventude, que decorre em Oliveira do Hospital de 21 a 29 de Julho de 2007. Poderá consultar o programa e inscrever-se nas várias actividades a partir do site da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital:

Dia do Software Livre

Tito de Morais, 18.07.07
Logotipo do Software Freedom Day 2007 - Dia do Software Livre 2007Continuando na senda dos dois posts anteriores, eis mais um pretexto para dinamizar actividades relacionadas com a segurança de crianças e jovens na Internet, mas não só. O Dia do Software Livre, que este ano se celebra a 15 de Setembro, é uma celebração mundial do Software Livre e de Código Aberto (Free and Open Source Software). O objectivo dos promotores é o de educar o público a nível mundial sobre os benefícios de usar este tipo de software na educação, no governo, em casa e nas empresas. Resumindo, em todo o lado. A Software Freedom International coordena o evento a nível global, fornecendo apoio, brindes e colaboração, mas equipas de voluntários a nível mundial organizam os eventos locais de forma a ter impacto nas suas próprias comunidades.

Segundo a visão dos promotores, pretende-se habilitar todas as pessoas a ligarem-se livremente, criar e partilhar num mundo digital que é participativo, transparente e sustentável. Entre os objectivos dos promotores contam-se:
  • celebrar o software livre e as pessoas que lhe estão por trás
  • acarinhar a compreensão geral do software livre, encorajar a sua adopção, assim como a adopção de standards abertos
  • criar acesso mais equitativo a oportunidades através da utilização de tecnologias participativas
  • promover um diálogo construtivo sobre as responsabilidades e os direitos na sociedade da informação
  • ser inclusivo relativamente a organizações e indivíduos que partilhem esta visão
  • ser uma organização pragmática, transparente e responsável
Em Setembro de 2005, a propósito da edição desse ano do Dia do Software Livre, escrevi sobre a importância deste tipo de eventos como uma forma de ultrapassar o facto dos custos do software muitas vezes constituir um obstáculo de monta à segurança online de famílias, escolas e comunidades em geral. Esta data, 15 de Setembro de 2007, é uma oportunidade de contrariar esse facto.

Revê-se no que escrevi acima? Então porque não envolver-se? No site oficial do evento encontrará informação sobre como poderá ajudar e um guia abordando tópicos tais como:
  1. Como posso celebrar o Dia do Software Livre?
  2. Passos para criar uma equipa
  3. O que deveremos fazer?
  4. Preparativos para o dia
  5. Publicitar o evento
  6. Dicas para o dia
  7. Seguimentos ao evento
  8. Algumas orientações para fazer do Dia do Software Livre uma celebração positiva
  9. Código de Conduta
Grupos comunitários em mais de 80 países irão organizar actividades locais e programas no Dia do Software Livre para educar um público mais vasto sobre o software livre: o que é, como funciona e a sua relação com os direitos humanos e com a sustentabilidade. O evento conta já com 140 equipas registadas: junte-se a elas para passar a palavra! O registo de equipas continuará a ser aceite até às vésperas do evento, mas aquelas que desejarem receber o pack gratuito do Dia do Software Livre, com autocolantes, t-shirts, CDs e balões, devem registar-se antes e 31 de Julho. As equipas terão também ao seu dispor uma loja online onde poderão adquirir t-shirts e packs do The Open CD. As equipas têm direito a um desconto de 50% sobre todos os preços marcados. Equipas que tenham circunstâncias difíceis podem escrever ao Software Freedom International Board com um pedido especial para ofertas adicionais.

Semana da Segurança Global

Tito de Morais, 16.07.07
As efemérides, os dias, as semanas, os meses e os anos que assinalem ou celebrem qualquer coisa, representam sempre a oportunidade de chamar a atenção pública para um determinado tema, mobilizar a opinião pública para o mesmo, e no caso de crianças e jovens, fazê-los reflectir sobre o tema promovendo uma série de actividades relacionadas com esse tema.

Hoje venho falar-vos de uma dessas oportunidades: a Semana da Segurança Global.

"Privacidade no Séc. XXI" é o tema da 3ª Semana da Segurança Global 2007, uma iniciativa anual de sensibilização para a segurança global que todos os anos tem lugar na semana anterior à de 11 de Setembro e que este ano decorrerá de 3 a 9 de Setembro. De acordo com os promotores da iniciativa, "a ideia é simplesmente coordenar e encorajar uma larga variedade de actividades de sensibilização relacionadas com a segurança que nessa semana têm lugar nível mundial, tirando partido da atenção que os média obviamente darão ao tema". Ainda segundo os promotores, "tratando-se de uma iniciativa pública de sensibilização, não-comercial, nem política, o objectivo de longo-prazo é transformar a iniciativa no ponto fulcral das iniciativas de sensibilização para a segurança em anos vindouros".

O tema escolhido para este ano pretende sublinhar como indivíduos e empresas podem proteger melhor a informação pessoal. Segundo os promotores da iniciativa, "não só aquela que está armazenada online e em sistemas informáticos diversos - tais como dispositivos informáticos móveis, dispositivos de armazenamento portáteis e em múltiplos servidores - mas também em papel, através de conversas sobre assuntos confidenciais em locais públicos e de qualquer outra forma segundo a qual a informação pessoal seja armazenada ou partilhada".

Segundo Gary Hinson, fundador da Global Security Week, "nos dias de hoje, a privacidade e a segurança da nossa informação pessoal está seriamente ameaçada. Governos e empresas recolhem e cruzam cada vez mais informação sobre nós. Notícias sobre quebras de segurança que revelam dados pessoais são notícia quase todos os dias. A Semana da Segurança Global pode ajudar, não só sensibilizando para os riscos, mas fornecendo conselhos sobre como os minimizar".

Em função do tema escolhido para este ano, durante a Semana da Segurança Global, "uma série de eventos, workshops e outras actividades de sensibilização terão lugar a nível mundial, visando educar, informar e preparar melhor as pessoas para protegerem a sua privacidade e para as empresas manterem em melhor segurança a informação que lhes é confiada pelos seus clientes", acrescentam os promotores da iniciativa em comunicado de imprensa.

Todos os interessados em participar na Semana da Segurança Global são convidados a  registar-se em http://www.globalsecurityweek.com. Segundo um comunicado de imprensa distribuído pelos promotores da iniciativa, "é bem vindo o envolvimento de indivíduos, grupos e empresas interessadas em participar organizando actividades de sensibilização para a segurança durante essa semana". Estas actividades serão promovidas gratuitamente no site global da Semana da Segurança Global. Os promotores encorajam ainda a criação de hiperligações para o site da campanha global através da utilização de imagens promocionais gratuitas que, no entanto, para a edição deste ano, ainda não se encontram disponíveis.

A este propósito, decorre até 6ª feira, 20 de Julho de 2007, um concurso para a selecção de um logotipo que servirá para promover a iniciativa através da Internet, no site global da Semana da Segurança Global, em sites de organizações participantes, em banners publicitários, na imprensa especializada e através da comunicação social em geral. Os concorrentes são convidados a submeter até três propostas que representem o espírito, a essência e a importância da protecção da privacidade. O regulamento pode ser consultado em http://www.GlobalSecurityWeek.com/html/logo.html.

Numa época em que crianças e jovens usam webcams, blogues, fóruns, redes sociais, mensagens instantâneas, telemóveis, sites de partilha de fotos e de vídeos, sem sempre pensarem nas implicações ao nível da sua privacidade e da dos seus familiares ou amigos, o tema "Privacidade no Século XXI" parece-me particularmente pertinente para audiências jovens. Assim, se tem crianças ou jovens a seu cargo, o concurso acima referido é uma forma de os envolver numa actividade que os faça reflectir sobre o tema da privacidade. Dado o período de férias escolares, esta é mais uma oportunidade para ATL's, OTL's, Colónias de Férias, Bibliotecas, Espaços Internet, etc. No entanto, as escolas, as empresas e outro tipo de organizações podem desde já inscrever a Semana da Segurança Global nos seus planos e começar desde já a pensar que actividades irão desenvolver durante essa semana.

O desafio fica feito. Adoraria ver o site da Global Security Week recheado de actividades relativas a Portugal!